Há No Jeca Uma Modificação Contínua

11 May 2019 14:44
Tags

Back to list of posts

<h1>H&aacute; No Jeca Uma Mudan&ccedil;a Cont&iacute;nua</h1>

<p>Aten&ccedil;&atilde;o: a reportagem cont&eacute;m &quot;spoilers&quot; (revela&ccedil;&otilde;es a respeito da trama). A s&eacute;rie Narcos, que foi ao ar em 2015, constr&oacute;i teu enredo misturando elementos de verdade com outros de fic&ccedil;&atilde;o. Os &quot;mocinhos&quot; de Narcos - dois agentes do Dea, o departamento de narc&oacute;ticos dos EUA - existem na vida real e deram consultoria aos produtores da s&eacute;rie. Universit&aacute;rios Dos EUA T&ecirc;m Mais Doen&ccedil;as Mentais Do Que H&aacute; Uma D&eacute;cada , o cineasta brasileiro Jos&eacute; Padilha - que participou de Narcos - repetiu o mesmo segredo em sua nova s&eacute;rie na Netflix, O Aparelho, uma fic&ccedil;&atilde;o baseada em fatos reais da opera&ccedil;&atilde;o Lava Jato. Em Narcos, a mistura de fic&ccedil;&atilde;o com realidade n&atilde;o gerou protestos do p&uacute;blico brasileiro.</p>

<p>O Instrumento &eacute; descrita por causa de seus criadores como uma &quot;obra de fic&ccedil;&atilde;o inspirada livremente em eventos reais&quot;. Entidades e corpora&ccedil;&otilde;es que existem no universo real tiveram seus nomes trocados pela s&eacute;rie. O PT (Partido dos Trabalhadores), passa a chamar-se &quot;PO&quot; (Partido Oper&aacute;rio); a Petrobras vira &quot;Petrobrasil&quot;; e a empreiteira Galv&atilde;o Engenharia passa a chamar-se &quot;Bueno Engenharia&quot;.</p>

<ul>

<li>Estudar pela v&eacute;spera da prova</li>

<li> Uepa Abre Inscri&ccedil;&otilde;es Pra Mestrado Em Educa&ccedil;&atilde;o </li>

<li>Deslocamento. Condu&ccedil;&atilde;o ou ve&iacute;culo est&atilde;o ok? Se prepare para contratempos (p. ex.: pneu furado)</li>

<li>dois Categorias 2.Um IndyCar Series</li>

<li>cinco - Estil&iacute;stica</li>

<li>dois - Fluidez DE INFORMA&Ccedil;&Otilde;ES</li>

<li>Sergio Abilio (discuss&atilde;o) 12h08min de quatro de julho de 2012 (UTC)</li>

formacion_cursos-1024x797.jpg

</ul>

<p>O mesmo acontece com os protagonistas. Em imensos casos, os nomes foram pensados para ter semelhan&ccedil;a com o de pessoas reais. Portanto, a personagem que representa a ex-presidente Dilma Rousseff foi batizada de &quot;Janete Ruscov&quot;; Michel Temer vira &quot;Samuel Thames&quot;, e a delegada Erika Marena &eacute; representada por &quot;Verena Cardoni&quot;. O mesmo &eacute; verdade pros doleiros Alberto Youssef (&quot;Roberto Ibrahim&quot;), Carlos Habib Chater (&quot;Chebab&quot;), e Nelma Kodama (&quot;Wilma Kitano&quot;). Neste momento o ex-ministro da Justi&ccedil;a e advogado M&aacute;rcio Thomaz Bastos (1935-2014) aparece na s&eacute;rie como &quot;M&aacute;rio Garcez Brito&quot;, ou &quot;O Mago&quot;: o personagem &eacute; uma esp&eacute;cie de super-lobista e advogado defensor de empreiteiras encrencadas com a Justi&ccedil;a.</p>

<p>Em uma entrevista por escrito ao blog Observat&oacute;rio do Cinema, publicada no &uacute;ltimo domingo, Jos&eacute; Padilha argumentou que a pol&ecirc;mica em volta da frase a respeito de &quot;estancar a sangria&quot; &eacute; &quot;boboca&quot;. A reportagem procurou Jos&eacute; Padilha por meio de tua assessoria, por&eacute;m n&atilde;o houve resposta at&eacute; o fechamento. O que &eacute; verdade e o que &eacute; inven&ccedil;&atilde;o pela s&eacute;rie de Jos&eacute; Padilha? Como Escolher O Meu Mestrado Em Psicologia? como aconteceram pela vida real alguns dos epis&oacute;dios retratados na cria&ccedil;&atilde;o da Netflix. 1. Qual A Diferen&ccedil;a Entre Extens&atilde;o E P&oacute;s-gradua&ccedil;&atilde;o? isso &quot;estancar a sangria&quot;? Pela s&eacute;rie dirigida por Jos&eacute; Padilha, a frase &eacute; falada pelo personagem Jos&eacute; Higino (que representa o ex-presidente Lula) ao &quot;Mago&quot;, inspirado em M&aacute;rcio Thomaz Bastos.</p>

<p>O di&aacute;logo fict&iacute;cio ocorre em 2014, antes das elei&ccedil;&otilde;es presidenciais. Por&eacute;m a cena &eacute; fantasiosa. Pela vida real a frase foi citada pelo senador Romero Juc&aacute; (MDB-RR), ao ex-presidente da Transpetro e delator da Lava Jato, S&eacute;rgio Machado. A conversa foi gravada por Machado e entregue &agrave;s autoridades como parte de seu acordo de dela&ccedil;&atilde;o.</p>

<p>O tempo tamb&eacute;m &eacute; outro: o di&aacute;logo real aconteceu em mar&ccedil;o de 2015, de imediato com Dilma Rousseff (PT) reeleita, e com alguns dos principais empreiteiros do pa&iacute;s pela cadeia. S&eacute;rgio Machado diz a Juc&aacute; que o senador tem que descobrir alguma forma de impossibilitar que seu caso &quot;des&ccedil;a&quot; pra Curitiba, sob o juiz federal S&eacute;rgio Moro.</p>

<p>Newton Ishii, o &quot;Japon&ecirc;s da Federal&quot;) pra pegar um jatinho no aeroporto de Congonhas (SP) e se mandar para Bras&iacute;lia. O comando da PF no Paran&aacute; chega a interromper a opera&ccedil;&atilde;o, mas de repente a sorte dos protagonistas muda: Ibrahim (Youssef) reaparece no radar dos policiais, prontamente na capital federal.</p>

<p>O agente liga no hotel, e Ibrahim atende. Ele retorna a liga&ccedil;&atilde;o e localiza que a chamada veio da PF - e deduz que seria confinado. Desconfiando da pris&atilde;o iminente, o doleiro sobe at&eacute; outro quarto do hotel e entrega uma mala de dinheiro a um camarada que viajava com ele.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License